Homepage EAA Chapter 1297 Lusitanos

Last Update: 06/03/06  |  Contact us: chapter1297@clix.pt  |  Ph: +351.963.025.680  |  Sitemap  |  Webmaster   

 

Home
Up

 


O INÍCIO DA AVIAÇÃO
POR LIMA BASTO

Clic para entrar na página oficial do "Centenário do 1º Voo"Embora o grande crédito se  deva aos srs. Orville e Wilbur Wright, também é justo reconhecer o contributo dos pioneiros da aviação que os precederam: Chanute, Lilienthal, Langley, Maxim e Pilcher,... todos fizeram as suas tentativas antes dos irmãos Wright, embora com menor sucesso.Experiências com o papagaio 1901

    Com efeito, experiências com papagaios já se realizavam há mais de 100 anos atrás, mas muitos destes pretendentes, tentavam imitar meramente os movimentos das aves ou não tinham ainda as bases da aerodinâmica... e naturalmente depararam-se com o fracasso.

Os irmãos Wright utilizaram um percurso muito mais ponderado e tinham melhor conhecimento de física básica, bem como, talento necessário para conseguir fazer levantar do chão, um aparelho mais pesado que o ar e controlá-lo assim que estivesse no ar.

Clic para ampliar - O planador de 1902 com duplo leme direccional

A sua avaliação foi cautelosa quando construíram o "Flyer".

O "Flyer" dos Irmãos Wright

Eles precisavam de uma estrutura apropriada, um motor com potência razoável, uma asa que lhes proporcionasse força suficiente para levantar um aparelho do chão, e o mais importante de tudo, a ver deles, desenvolver um método de controlo funcional no ar.

O trabalho já produzido por outros em estruturas era apropriado e uma grande ajuda para construir um avião. Por outro lado, o progresso realizado nos motores de combustão interna também os ajudaram muito ao projectar o seu motor.

Clic para ampliar - Wilbur dá instruções    

Mas foi o controlo de estabilidade o factor que lhes provocava a maior dor de cabeça, provavelmente ao inverso dos seus antecessores, por e terem dedicado com maior consistência em controlar um aparelho em três dimensões. Outros imaginavam que um avião daria a volta num plano, usando apenas um leme. Os irmãos Wright analisaram correctamente que se o avião efectuasse um rolamento à volta do seu eixo longitudinal, conseguiria dar a volta mais facilmente. Primitivamente os meios para o obter era pela deformação da asa... Mas não levou muito tempo a ser inventado o "aileron", para melhor alcançar este movimento.

Após repetidas falhas e algumas surpreendentes descobertas, Wilbur de 35 anos e Orville de 31, decidiram planear para 1903, voar uma máquina mais pesada que o ar, tripulada, controlada, com capacidade de descolar com a sua própria propulsão e aterrar em segurança.

A Contagem decrescente para Kitty Hawk.

Foram para Kitty Hawk em 25 de Setembro de 1903, totalmente confiantes de ser um sucesso, iniciando a montagem do "Flyer" em Kill Devil Hills.Clic para ampliar - Os irmãos Wright 1909 (Wilbur usando o anemómetro em Pau - França, e seu irmão Orville)

Os irmãos Wright tiveram que construir o seu próprio motor, com a ajuda do mecânico Charles Taylor, uma vez que a indústria de motores de combustão interna se encontrar ainda numa fase muito primitiva. Duas hélices de madeira foram montadas atrás das asas, rodando em sentidos opostos para cancelar o efeito de torção e ligadas por correntes de bicicleta (lembrem-se que os Wright tinham uma fábrica de bicicletas), que faziam a transmissão do movimento proveniente do motor.

Não querendo perder mais um dia, os irmãos Wright levantaram-se no dia 17 de Dez. preparados para voar. O vento era muito forte do lado norte, com uma velocidade de 45 km/h, e o tempo estava frio. Eles esperaram que o vento acalmasse, mas como isso não acontecia, decidiram fazer uma tentativa.

 

Pelas 10 Horas da manhã, fizeram sinal aos homens do posto de socorros a náufragos. O carril foi colocado desta vez, em terreno plano, mas a temperatura baixa dificultou este trabalho. Nesta tentativa estavam presentes John T. Daniels, Will S. Dough e Adam D. Etheridge, e alguns elementos do posto de socorros a náufragos.

Pelas 10:35, com Orville aos comandos, o "Flyer" rolou pelo seu carril de lançamento e elevou-se no ar.

Clic para ampliar - O planador de 1001 tripulado                                         Clic para ampliar - Aterragem do Flyer

O Wilbur, que tinha corrido ao lado, segurando a ponta da asa direita para manter o avião estável durante a descolagem, deu mais uns passos. Daniels tirou uma daquelas mais famosas fotografias — o primeiro voo da máquina voadora dos irmãos Wright — o triunfo do homem sobre os céus.

Orville escreveu no seu diário: "Com a largada da corda, a máquina começou a aumentar de velocidade provavelmente 7 ou 8 milhas. A máquina iniciou a subida mesmo ao atingir a quarta secção do carril. O senhor Daniels tirou uma fotografia no momento logo que deixou o carril. Notei o controlo do leme da frente difícil por estar compensado muito perto do centro e assim tinha tendência para inverter por si quando iniciado, por o leme estar muito longe de um dos lados e muito longe do outro. Como resultado, a máquina bruscamente subia à volta de 10 ft. e logo de seguida com o girar do leme, embicava para o chão. Uma flecha repentina quando atingiu os 100 ft. do final do carril, finalizou o voo. Tempo de 12 segundos (não sei exactamente porque o cronómetro não foi parado imediatamente)".

A fotografia de John T. Daniels é uma das imagens mais notáveis do século XX, e com certeza, um dos mais extraordinários documentos históricos.

Esta foto mostra o momento grandioso: o "Flyer" descolou do carril de lançamento, Orville está aos comandos e Wilbur agitado corre a seu lado.

Clic para ampliar - O primeiro voo do Flyer em 17 Dez 1903

Se pensarmos em termos puramente estatísticos, foi apenas um pequeno triunfo. O voo de Orville só durou doze segundos e percorreu uma distância de 36 metros (120 ft), praticamente metade da distância da envergadura de um avião moderno de transporte como o Jumbo B-747. Mas os irmãos Wright efectuaram mais três voos nesse dia; o segundo voo realizado por Wilbur durou 12 segundos e percorreu a distância de 53 metros e o terceiro, foi tripulado por Orville e durou 15 segundos percorrendo 60 metros. O quarto e último voo foi o mais longo e foi pilotado por Wilbur. Durou cerca de 59 segundos e cobriu 260 metros antes de embater num pequeno monte de areia partindo o leme trazeiro do avião. Quaisquer dúvidas sobre a autenticidade sobre esta máquina voadora, foram assim desfeitas para sempre nesta altura.Clic para ampliar - Flyer de 1903

No regresso a casa para tentar reparar os pequenos estragos do avião, eles foram surpreendidos por uma rajada de vento que começou a levantar a máquina. Orville e Daniels seguraram as asas mas sem resultado. Daniels ficou pendurado num dos montantes da estrutura do "Flyer" e começou a embrulhar-se. Com alguma intensidade, o vento fez a máquina dar uma "cambalhota" com Daniels ainda no meio dos destroços.

Com algumas escoriações, o aventureiro Daniels, foi retirado das "ripas" partidas. Os voos de 1903 chegaram ao fim.

No final da tarde, um telegrama de Orville Wright foi entregue em casa de seu Pai em Dayton. As suas modestas palavras explicavam: "Sucesso quatro voos quinta de manhã todos com vento de 35 quilómetros por hora (21 milhas) iniciados em nível plano com apenas potência de motor média de velocidade através do ar trinta e uma milhas mais longo 57 segundos informar imprensa em casa para o Natal".

A Indústria Aeronáutica

De regresso a Dayton, os irmãos Wright começaram a recear a imprensa. Eles pensavam que ao se exporem tanto à imprensa, isso iria comprometer o seu futuro trabalho, particularmente, quando quisessem esconder os pormenores das suas experiências, podendo eventualmente perder direitos de produção/patente revelando os seus inventos a possíveis concorrentes.

Clic para ampliar - Wilbur e Orville 1909Finalmente e depois de inúmeras experiências, adaptações e modificações, os irmãos pensaram em usar uma catapulta portátil para diminuir a distância de descolagem e acelerar o seu avião para velocidades de voo. Este sistema de catapulta, constava de uma pequena torre com uma estrutura em forma de A de onde eram lançados pesos de 726 kg (1600 lb.) de uma altura de 4,8 metros (16 ft), amarrados a uma ponta de uma corda. Na outra ponta era preza à frente do avião,  (corria por baixo do carril de lançamento). Tal engenho permitiu acelerar e atingir velocidades de descolagem e percorrer uma menor distância.

Com nova máquina, os irmãos Wright tentaram melhorar a estabilidade longitudinal e assim demonstrar um voo circular. Primeiro, puseram  o motor mais recuado para permitir que o Centro de Gravidade mais para trás, pensando que tal iria trazer melhorias da estabilidade. Claro que não resultou... e rapidamente retrocederam para uma localização mais frontal, acrescentando "lastro" nos lemes dianteiros.

A 20 de Setembro de 1904 realizaram o primeiro voo circular com um avião na História. Daqui em diante, os voos circulares tornaram-se numa questão banal.

Apesar dos seus sucessos, muito poucas pessoas de Outer Banks e Dayton tinham assistido efectivamente aos voos dos irmãos Wright. Principalmente, porque os irmãos mantinham o seu trabalho envolvido num certo secretismo. Eles acreditavam que tinham conseguido desbloquear um conjunto de mistérios sobre o voo controlado e receavam que lhes fosse retirado o mérito de tal sucessos. Pelo menos até as suas patentes serem creditadas. Acordaram entre eles que só voariam novamente após terem um contrato de construção de um avião. Esta maneira errada de pensar levou a um certo descrédito dos seus aviões. Ninguém iria pagar um avião se não tivesse pelo menos visto um a voar. 

Passados alguns meses, Wilbur e Orville preparam-se para voltar a voar, tanto nos EUA como fora, na Europa, onde conseguem uma venda de um avião a um sindicato Francês.

No entanto, os eventos na Europa ultrapassavam os irmãos Wright. Aeronautas franceses, incluindo o célebre brasileiro Alberto Santos Dumont, que vivia em França, já tinha voado em público as suas máquinas mais pesadas que o ar.

Em França, às 6 horas da tarde de sábado dia 8 de Agosto de 1909, com uma pequena assistência, que incluía Louis Blériot (completou a travessia do Canal da Mancha em 25 de Julho de 1909), Wilbur Wright levantou voo. Foi um voo simples e durou menos de dois minutos. Fez algumas voltas ao circuito de corridas de cavalos de "Les Hunaudieres". Os franceses ficaram espantados pois nunca ninguém tinha conseguido demonstrar aquele nível de controlo.

Realizaram na segunda-feira a seguir mais voos onde o mais velho dos irmãos Wright, efectuou apertadas voltas em "oito". Estas voltas acrobáticas puseram os franceses "loucos". De repente, todas as suspeitas e dúvidas caíram por terra. O público e a imprensa francesa vitoriaram os Wright como os verdadeiros Reis do Ar.

Ao nível comercial, o negócio crescia exponencialmente em França e tinham já convites para fazerem demonstrações na Alemanha no final do ano.

Os feitos aeronáuticos dos irmãos Wright foram reconhecidos mundialmente. No final de 1909, fundaram a "Wright Company". Esta empresa construía e vendia os aviões. Tinham escritórios em New York City e oficinas em Dayton. O Wilbur Wright era o Presidente e Orville o Vice-Presidente.

Jorge Lima Basto

 

 

HOME | AERONAVES | NOTÍCIAS | JOVENS ÁGUIAS | CONCEITOS | PROGRAMA DE ACTIVIDADES | LINKS | NEWSLETTERS | CONTACTO | SITEMAP

Clic for English

 

 

EAA Chapter 1297 - Lusitanos ® Aeródromo Municipal de Cascais
 Salas 15 e 16, Tires ® 2785-632 S. Domingos de Rana - Portugal ü